Empresários, entusiastas e análises apontam um movimento de R$ 200 milhões

anuais na economia só no Brasil

Quem já teve a oportunidade de ir a exposições de carros antigos, conhece a sensação de voltar àquele passado charmoso e encantado das décadas anteriores e a impressão de estar em um cenário de filme clássico. Mas se engana quem pensa que estes modelos são atrativos só pela graça e elegância e que negócios com autos antigos giram só pela paixão de entusiastas e colecionadores.

Carros antigos, além de retratarem épocas, colaborando para preservação da história, são muito valorizados. Um estudo feito pela(FGV EAESP) Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas analisou 24 modelos entre 2005-2006 e 2015-2016 e verificou que estes veículos geram retorno financeiro acima da taxa básica de juros Selic e dos títulos CDI. A Kombi Corujinha, por exemplo, valorizou 135% acima da Selic no intervalo pesquisado.

A pesquisa mostrou o que muitos empresários do segmento já sabiam. O paulistano e empresário Mauro Gaibar trabalha com carros há 38 anos diz algo que confirma a análise da FGV: “Sempre gostei muito dos clássicos, mas só voltei o olhar para eles há oito anos. Embora não se tenha um alto volume de vendas, a rentabilidade é excelente.”, conclui.

Os números apontados pela FBVA (Federação Brasileira de Autos Antigos) também são positivos e demonstram a força do setor. Segundo a organização, fundada em 1987, o Brasil conta com mais de 17 mil veículos com placa preta – concedida para carros com certificação de originalidade, fabricados há mais de 30 anos, características originais conservadas e integrantes de coleção – mais de 4 mil veículos antigos importados recentemente, além de mais de 400 clubes, agremiações e confrarias voltados para o antigomobilismo.

O empresário de Ribeirão Preto/SP, José Paulo Parra, que assumiu neste ano a organização do Grande Leilão de Veículos Antigos de Araxá/MG, evento que ocorre dia 01 de junho e integra a programações do tradicional Brazil Classics Show, diz perceber um mercado em sólido crescimeno e extremamente aquecido. “O segmento movimenta em todo país mais de R$ 200 milhões anuais, com compra e venda de autos antigos, peças e serviços para manutenção, preservação e restauração desses veículos”, afirma. Parra, que também organizou o 1º Grande Leilão Internacional de Veículos Antigos no Encontro Paulista de Autos Antigos, em Vinhedo/SP e já está trabalhando para a 2º edição que acontece em julho, conta que o mercado de carros antigos no exterior é bastante desenvolvido e que por lá este nicho de mercado é visto como investimento.

 Em Miami, o empresário brasileiro Maurício de Souza confirma o que diz Parra. Ele trabalha no segmento antigomobilístico há 20 anos e conta que os leilões de carros antigos por lá acontecem a cada 15 dias e os números da indústria nos EUA são astronômicos. “Nós participamos, semana passada, de uma série de leilões em Indianápolis, onde tinham por volta de 2000 carros a venda. Carros raros, belíssimos e alguns modelos que passam de um milhão de dólares. Em média, estes leilões vendem, no mínimo, 80% do que é levado. Para se ter uma ideia, os grandes eventos chegam a vender, em um final de semana, mais de 25 milhões de dólares em carros”.

Leilão realizado pela Talladega Motors em Vinhedo – SP

Souza acredita que como o Brasil tem um grande número de colecionadores, antigomobilistas, público interessado e muitos carros para comercializar, a expectativa é grande para que o mercado aumente cada vez mais por aqui também.

Serviço:

Grande Leilão de Veículos Antigos de Araxá
Data: 01/06/2018 (sexta-feira)
Local: Tauá Grande Hotel & Convention Araxá – Araxá (MG)
Endereço: Rua Águas do Araxá – S/N – Barreiro – Araxá/MG
Horário: a partir das 18 horas

Enviar Comentário

Deixe uma resposta