CORD 810/812 – Uma verdadeira Escultura Rolante


O Cord 810 de 1935 e 812 de 1937, projetado por Gordon Buehring chamou a atenção de todos os segmentos do público. Fabricado apenas na década de 30, foi o símbolo de status de uma época na história do Automóvel devido sua beleza, personalidade e estilo.

Tinha suspensão baixa, pára-lamas dianteiros curvos e faróis escamoteáveis. O motor era um lycoming de oito cilindros em V. capaz de 4,7, litros com cabeçotes de cilindro de liga metálica e um carburador Stromberg com dupla admissão.

Com suspensão dianteira independente e uma caixa de marcha elétrica Bendix, era o sonho de um projetista. Mas, apesar da introdução do “812”, superalimentado, que fazia 160km/h um ano mais tarde, somente cerca de 2.300 carros foram vendidos, tornando-se iminente a falência do império de Erret Loban Cord.

Hoje, o CORD 810/812 é considerado um dos carros mais bonitos que foram construídos… O Museu Metropolitano de Arte Moderna, em Nova York realizou uma exposição em homenagem ao CORD… Este automóvel foi considerado um dos 10 carros os mais significativos do século XX.

CORD no Brasil

Através de pesquisas, afirmam que Existiram quatro CORDs no Brasil . Dois L-29, um modelo Cabriolet e um sedã, de propriedade de um colecionador paulista e de um carioca. Há ainda um sedã 810 e um 812 Sporstman…

As linhas atraentes do modelo 812 Sportsman atraíram a atenção de celebridades brasileiras, uma delas foi Carmem Miranda que trouxe deste modelo para o Brasil . Hoje não se sabe onde este veículo se encontra…

  • Alguns dados do belo e Revolucionário CORD
  • Capô inteiriço (“nariz de caixão”) cobrindo o radiador.
  • Câmbio semi-automático a vácuo; a seleção da marcha é efetuada com o dedo, por meio da pequena alavanca ao lado do volante, e ao apertar a embreagem à marcha é trocada.
  • Faróis dianteiros retrateis
  • Luzes de freio embutidas na carroceria
  • Dobradiças das portas embutidas na carroceria
  • Compartimento para armazenagem da capota
  • Placa fixada diretamente no carro, com luz de iluminação
  • Boca de combustível escondida num compartimento com tampa

CORD – MODELOS –ANO (812)

 

CORD 812 CABRIOLET  conversível- 1937

Cord 812 Cabriolet- Em 1937, na época da grande depressão, este carro custou $3.010, enquanto um grande Buick poderia ser comprado a $895,00

 

CORD PHAENTON 812 – 1937

Introduzido em 1929, Erret Lobban Cord criou O CORD um dos carros os mais stylish e mais graciosos a serem produzidos na América.

CORD  Supercharged Conversível Coupe – 1937

Os CORDs 810 e 812 (1936 e 1937) – total da produção do revolucionário automóvel foi estimado em 2900 exemplares.
 

CORD 812 SC Beverly 1937

O CORD 812 – 1937 – foi lançado em seis opções de carroceria: o Coupe Convertible, Beverly Sedan, Beverly (feito sob encomenda), Berline também feito sob encomenda, Phaeton, e o Westchester Sedan.
 

CORD Coupe Conversível SC 1937

Em 1937 o CORD foi rebatizado como 812 – modificações importantes foram incorporadas ao motor: um compressor centrífugo Schwitzer-Cummins, que elevava a potência de 125 para 170 cv, com a velocidade máxima passando dos 160 km/h. Ainda neste ano, a produção cessou devido aos problemas financeiros da Empresa.

 

CORD 812 Berline Limo – 1937

Diversas opções foram feitas em 1937 incluindo um super-charger e uma série “feita sob encomenda”. O modelo utilizou um motor superalimentado Lycoming V8.

 

CORD SPORTSMAN 1937

Deduz-se que perto de 580 automóveis foram exportados. Hoje não se sabe quantos Cord 810/812 sobraram. Estimativas dão conta de aproximadamente 1500 exemplares.

CORD – MODELOS –ANO (810)

 

CORD PHAETON 810 – 1936

Vale ressaltar que no ano de 1935 a 1937 o total da produção do revolucionário CORD foi estimado em 2900 exemplares, divididos em:

2212 automoveis Standard (Sem Supercharger) sendo :

  • 1678 Sedans (Beverly + Westchester)
  • 404 Phaetons
  • 130 Convertible Coupe

88 automoveis “Supercharged” sendo:

  • 428 Sedans (Beverly + Westchester)
  • 196 Phaetons
  • 64 Convertible coupes

Símbolo de status… O Cord Abrigava um motor Lycoming de oito cilindros em V sob capô parecido com uma esfinge. Com a grade que o envolvia, os faróis escamoteáveis e uma avançada mecânica interna, ele adquiriu uma aura mística que perdura até hoje.

O CORD foi um símbolo de uma época da história do Automóvel, com sua beleza, personalidade e estilo. Foi fabricado apenas por um biênio na década de 30 e para nossa sorte podemos acompanhar a história da sua evolução entendendo o motivo pelo qual o CORD é considerado até hoje uma verdadeira “escultura rolante”.

 

Enviar Comentário

Deixe uma resposta