O Clássico do Mês – Dodge Kingsway Custom de 1950


O  Clássico do mês de Junho de 2014 foi reservado especialmente para o belíssimo veículo  Dodge Kingsway Custom de 1950 de Carlos Vieira Reis.

Carlão como é conhecido pelos amigos do meio, é um grande colecionador de veículos Antigos no Rio de Janeiro, extremamente participativo de eventos pelo Brasil e Exterior. É Sócio do Veteran Car Club do RJ e também do Nictheroy Clube de Veículos antigos. 

IMG_1814

 Um pouco sobre a vida de Carlão no meio antigomobilista:

Minha paixão por carros antigos vem de muito longe. Seguindo o bom gosto do meu saudoso pai, João Vieira Netto, que era um apreciador e colecionador de carros antigos e, por óbvio, criado nesse ambiente, adquiri seus bons fluídos, na preservação da memória dos carros antigos.

 IMG_1815

Sobre o Clássico do Mês – Dodge, Kingsway.

Sobre o meu DODGE, Kingsway Custon, ano 1950, 02 portas, tenho a lhe revelar  que a questão é muito mais sentimental, do que realmente ter um modelo tão raro de veículo. 

IMG_1845

Há cerca de 43 (quarenta e três) anos, quando tive o prazer de conhecer a minha hoje querida e grande incentivadora esposa, Leila Mendes Reis, eu tinha um carro exatamente igual ao referido DODGE. 

IMG_1610

Tempo depois, apesar de contrariar a minha já esposa Leila, infelizmente, acabei por trocá-lo, por um Fusca, modelo 1966, que, na ocasião era a minha grade sedução.Não muito tempos depois, o arrependimento se abateu sobre mim, mas, já tinha feito a bobagem e não tinha mais como recuperar aquela antiga preciosidade. 

IMG_1613

Mas, a Leila sempre me pedia para comprar um exemplar igual àquele DODGE, até que, em 2004, um amigo de Porto Alegre, me telefonou informando: “achei o carro dos seus sonhos e que você me encomendou, na cidade de Arambarê-RS e estou lhe esperando para  visitá-lo e, se for o caso, fechar o negócio com o Vendedor”.  

Na semana seguinte viajei para Porto Alegre e, de lá, partimos para a referida cidade gaúcha. 

IMG_1619

Como é do conhecimento de muitos amigos, sou muito exigente e perfeccionista com automóveis e, para minha decepção, em lá chegando, encontrei o carro abandonado, em um curral de ovelhas, todo podre, com ferrugem por todas as portas, tampa de mala, assoalho e cofre do motor, sem se falar que os seus cromados, estofamento e pneumáticos estavam em péssimas condições, estes últimos inservíveis, mas, com a sua estrutura e mecânica bastante preservada. 

IMG_1614

Fiquei tão decepcionado com o que me deparei, que não contra-ofertei nenhum valor em função do preço de R$ 22.000,00, que o Vendedor havia me pedido, preferindo voltar para o Rio de Janeiro e melhor refletir sobre a conveniência da negociação.   

IMG_1761

Cerca de 02 (meses) depois, o Vendedor me telefonou, argumentando que era o 2º dono do carro e que o possuía há cerca de 38 (trinta e oito) anos e que nunca sofreu qualquer colisão, apenas pequenos aranhões nos frisos, mas, que, como tinha interesse em vender, tinha reduziria o preço para R$ 20.000,00. Diante disso, lhe fiz uma contraproposta de R$ 15.000,00, para depois elevar para R$ 17.000,00, correndo o pagamento do frete do RS para RJ, por conta do Vendedor, no que ele concordou e, assim, foi fechado o negócio.  

IMG_1770

Quinze dias após ter fechado negócio, o carro chegou no Rio de Janeiro, no bairro do Caju, onde fui pegá-lo. Devido ao seu péssimo estado e a precaríssima aparência, mas com boa mecânica, resolvi partir direto e rodando para a cidade de Petrópolis, de modo a ser entregue o carro ao meu antigo lanterneiro, Agildo Mellado. 

IMG_1816

Devido à precariedade do seu estado, o aludido profissional, muito cuidadoso, zeloso e responsável, optou por desmontar todo o carro, tirando, inclusive a carroceria de cima do chassis, de modo a facilitar sua recravação, já que algumas de suas travessas estavam soltas. 

IMG_1817

Desmontado o carro, foram executadas restaurações de lanternagem e substituídas várias partes da carroceria, como assoalho integral, portas, tampas de mala e cofre do motor, além de serem refeitas diversas partes cromadas, que se achavam amassadas ou inteiramente destruídas ou tomadas de ferrugem. 

A obra, incluindo desmontagem e montagem, foi executada pelo Agildo em cerca de 60

IMG_1844

(sessenta) dias corridos, sendo necessário, por óbvio, a desmontagem do estofamento, vidros, com a substituição das borrachas que foram importadas dos EUA, além da parte mecânica, com a retirada e posterior recolocação do motor. 

IMG_1813

Diversas peças foram importadas dos EUA (o que importa em certa demora), tais como, mecânicas, borrachas de vidros, pára brisa, quebra ventos, portas, tampa de mala e vidro traseiro etc, sem se falar naquelas que foram adquiridas no mercado nacional, incluindo-se dentre elas, pneus, bateria, calhas de vidro e material de capoteiro. 

 carlão com sua esposa Leila e sua filha, Carla

Foi um verdadeiro sofrimento, porque os profissionais escolhidos (lanterneiro, pintor e capoteiro) e executores dos serviços tinham suas oficinas em diversos bairros da cidade de Petrópolis, o que implicava no uso constante e oneroso de reboques de um lado para outro, sem se falar que o eletricista ficava na Ilha do Governador, cromador no bairro da Penha e mecânico em Niterói, para, finalmente, o carro retornar a Petrópolis, de modo a possibilitar a sua montagem final pelo meu estimado amigo e lanterneiro Agildo e, assim, concluir a obra, que durou cerca de 02 (dois) anos, sendo de se ressaltar que a pintura foi refeita por 03 (três) vezes, já que as intervenções anteriores não haviam ficado de acordo com as minhas exigências. 

 012a

Depois dessa verdadeira batalha, concluído o serviço de reforma do carro, levei-o com grande satisfação para Niterói, de modo a fazer uma surpresa à minha estimadíssima esposa Leila e à minha querida e não menos estimada filha Carla, que o receberam radiantes, com uma festinha para comemorar o grande feito de ter um carro antigo raríssimo e em perfeitas condições, como o anterior. 

Esta, síntese, é a história do meu carro DODGE. Espero que gostem

Carlos Reis recebendo homenagem do seu clube – Veteran Car Club Rio de Janeiro

 Detalhes Técnicos do Dodge Kingsway: 

1950 Dodge Kingsway Custom Sedan

Technical Specifications

011 -c 

Motor

Bore & Stroke

Compression Ratio

Power

Top Speed

L x B x H

Weight

Wheelbase

Track front

Track Rear

Production

Approx New Price

6 cil in line / 3567cc

83 x 111mm

6.6:1

97bhp @ 3600rpm

130km/h

489 x 186 x 166cm

1455Kg

301cm

141cm

148cm

N/K

N/K

O Portal AutoClassic agradece a Carlos Vieira Reis por nos dar a oportunidade de conhecer um pouco sua história no meio antigomobilista e o parabeniza por engrandecer o acervo de carros clássicos s existente em nosso país.

Um forte abraço para você  e sua linda família. Que Deus os proteja sempre!

Saudações,

Teresa Gago
Portal AutoClassic
Rio de Janeiro – Brasil

8 Comentários

  1. Carlos Vieira Reis
    14 de junho de 2014
    Responder

    Tereza:

    Ficamos muito honrados e sensibilizados com a sua belíssima homenagem. Aliás, ela se se torna mais significativa ainda, partindo de uma profissional competente, honesta e dedicada como você, que a cada dia se supera na arte da criatividade e da elegância com que elabora suas bem redigidas matérias.
    O antigomobilismo brasileiro se sente muito honrado em ter você como uma grande e notável incentivadora.

    Muito agradecidos pela expressiva homenagem,

    Carlos, Leila e Carla Reis

  2. Carla
    14 de junho de 2014
    Responder

    Teresa, agradeço imensamente a linda homenagem que foi feita ao meu pai e a nossa relíquia (Dodge). Foi emocionante ler nossa história de forma tão poética e valiosa. Obrigada pela matéria e pelas fotos maravilhosas que só poderiam partir de mãos mágicas como as suas.

    Um beijo

    Carla Reis

  3. Wagner Coronado
    14 de junho de 2014
    Responder

    Merecida homenagem
    Ao mais “cri cri” colecionador que conheco , ( entenda-se exigente)

    Parabéns pela sua colecão, impecável
    E. Um prazer enorme compartilhar de sua amizade

    Um abracão
    Berek

  4. 14 de junho de 2014
    Responder

    Parabéns ao meu amigo e vizinho Carlão, você é essa raridade são nota 10 parabéns Leila e Carla pelo incentivo ao antigomobilismo.

    Um grande abraço

    Alexandre Thomaz

  5. Adalgenio Antunes
    15 de junho de 2014
    Responder

    Caro amigo Carlão,
    Imagino a sua satisfação em ver revelada a saga do DODGE no Portal Auto Classic. Só quem já passou por isso, como eu, pode entender.
    Você sofreu 2anos. Eu sofri mais intensamente, porque fiz a tarefa em apenas 1 ano.
    Mas ambos podemos dizer que valeu a pena.
    Parabéns pelo sucesso e um forte abraço.
    Adalgenio.

  6. Eduardo Loureiro
    17 de junho de 2014
    Responder

    Parabéns a equipe Autoclassic pela escolha do conjunto ( carro / dono ) no referido caso ambos merecem…

    E aí Carlão favos trocar por um “fuca” dessa vez 67 ….

    Abração e saúde
    Eduardo Loureiro

  7. Henrique
    1 de setembro de 2014
    Responder

    Ola bom dia,

    Saberiam me ajudar indicando alguém em sao paulo que tenha conhecimento para consertar o cambio original de um kingsway?

    grato.

  8. Paulo II
    16 de Fevereiro de 2016
    Responder

    Ola a todos!!!
    Vi esta reportagem com Sr.Carlos e por coincidência comprei um Kingsway 1952 ai no RJ em 2009, carro que so precisei ajustar a pintura, pois o resto se encontrava intacta, hoje o carro é minha paixão e da minha família tb.
    Parabéns a vcs!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *