Ferrari rara é vendida por quase R$ 60 milhões


Há alguns dias, contamos aqui no AutoPapo que uma Ferrari rara iria a leilão e poderia se tornar um dos carros mais caros da história. O valor que ela poderia atingir ficaria entre US$ 14 milhões e US$ 17 milhões (algo entre R$ 45,9 milhões e R$ 55,8 milhões).

Porém, a Ferrari 250 GT LWB California Spider Competizione by Scaglietti foi arrematada por 17,99 milhões de dólares (R$ 59,05 milhões em conversão direta), em leilão realizado nesta quarta-feira (6) em Nova York, Estados Unidos, pela tradicional casa Sotheby’s

Alguns fatores contribuíram para esse valor elevado. O primeiro é, como já dissemos, o fato de ser uma Ferrari rara: apenas oito unidades desta versão com esta especificação foram construídas no fim da década de 50.

O segundo é o excelente estado de conservação da unidade, restaurada minunciosamente. O terceiro fato que contribui são os diversos prêmios que ela ganhou em alguns dos concursos de carros antigos mais prestigiados do mundo, como o Pebble Beach Concours d’Elegance.

BMW do Steve Jobs

Outro carro arrematado no mesmo leilão foi um BMW Z8 2000 que pertenceu por três anos a Steve Jobs. Porém, neste caso, as cifras foram bem mais modestas: “apenas” 329,5 mil dólares, pouco mais de R$ 1,075 milhão.

Na época, Jobs foi convencido por Larry Elisson, CEO da Oracle, a comprar o Z8 e o recebeu em 6 de outubro de 2000. Para ele, o modelo era um paradigma de engenharia e ergonomia na engenharia automotiva, o que, de certa forma, refletia a proposta do fundador da Apple para seus produtos.

Curiosamente,vários documentos comprovam que esta unidade realmente pertenceu ao inventor do iPhone, inclusive o registro do veículo em seu nome e com o seu endereço residencial. Isso é significante, pois Jobs era famoso por dificilmente registrar seus carros para garantir algum anonimato.

O Z8 está equipado com diversos acessórios de época, inclusive um celular Motorola que o acompanhava e que Steve Jobs sempre odiou.

Por AutoPapo:08/12/17 às 14h50

Enviar Comentário

Deixe uma resposta